segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Devir

Lembrei-me das aulas de filosofia.
Heráclito pra ser mais preciso.
Devir é o desejo de tornar-se.
Desejei tornar-me o que me tornei ou tornei-me o que me tornei sem desejar?
Não sei. Devir é mudança constante.
Mudei, mudo e mudarei.
Talvez seja essência ou talvez seja substância.
Não há como saber.

3 comentários:

TELMA GUEDES disse...

Adorei a reflexao! ainda nao li Heráclito, mas sei q ele é mto considerado! normalmente leio Nietzsche e Voltaire...adorei seu blog! bjao

hesseherre disse...

Mas ficando tudo verde, o céu, as nuvens, os focinhos amigos dos políticos...cuidado! podes estar com icterícia, devido a uma hepatite....
:>)))

Geraldo Brito (Dado) disse...

Saudações e parabéns pelo blog!

Caminham por aqui.